quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Bursaries - Educação particular ao alcance de famílias de baixa renda na Inglaterra

Num post anterior falei sobre bolsas de estudo para o ensino médio e fundamental na Inglaterra. Aqui vou tratar de uma outra forma de ajuda financeira para alunos de escolas particulares: bursaries, o crème de la crème do financiamento de mensalidades escolares para famílias de baixa renda.

Bursaries são na prática bolsas de estudo dadas puramente com base na situação financeira da família do estudante, sem nenhuma referência ao desempenho acadêmico da criança.  Geralmente estão disponíveis tanto para alunos novos quanto para alunos já matriculados na escola, tanto no ensino fundamental quanto no ensino médio e Sixth Form. 

Diferentemente de bolsas de estudo, que normalmente cobrem no máximo 50% do valor das mensalidades, bursaries podem cobrir até 100% dos custos escolares.



Os candidatos a bursaries devem seguir o procedimento padrão de admissão na escola, mas os pais também devem preencher um formulário detalhando sua situação financeira. Em todos os casos, a renda familiar deve ficar abaixo de um limite. Por exemplo, em Highgate School, em Londres, que tem mensalidades de £15.120 por ano, o limite de renda anual é de £25.000 para um bursary de 100% e de até £50.000 para uma assistência mais limitada.

Bursaries tendem a ser oferecidos pela maioria das escolas particulares, mas não por todas, portanto quando pesquisar uma escola investigue as opções de financiamento disponíveis. A informação está normalmente descrita no prospecto ou website da escola, mas você pode ter que investigar mais a fundo e falar com a escola diretamente.

Ao se inscreverem num desses programas os pais ou responsáveis têm que preencher uma declaração garantindo que o aluno cumpre os critérios necessários. Eles têm que apresentar documentos comprovando sua renda familiar, despesas, bens e dívidas e também podem ter que fornecer referências de alguém em uma posição de responsabilidade, como o médico da famíliaAlguns esquemas de bursary exigem que o recipiente seja oficialmente residente no Reino Unido há um certo tempo. As informações são tratadas com absoluto sigilo.

Uma vez que o benefício é concedido, o fato de uma criança ter suas mensalidades financiadas por um bursary também é tratado confidencialmente, ou seja, os coleguinhas, outros pais e até mesmo professores não saberão que a criança recebe ajuda financeira, o que evita que haja qualquer tipo de discriminação.

Finalmente, nada impede que um aluno que recebe uma bolsa de estudo também receba um bursary, se sua situação estiver dentro dos requisitos aplicáveis. Algumas escolas, como Harrow, oferecem bursaries apenas a alunos que receberam bolsas de estudo mas não podem pagar a parte do valor das mensalidades que não é coberta pela bolsa.
Bursaries na prática

Abaixo transcrevo o relato de uma amiga que conseguiu recentemente um bursary que dá um desconto excelente na mensalidade da escola particular de seu filho.

Vou contar um poquinho da minha experiência com o bursary.

Meu filho tem onze anos e acabou de sair de uma escola primária do governo para iniciar o ensino secundário numa escola particular onde, após seis meses de intensa troca de informações, conseguimos um bursary de 50% para ele.

Nós já haviamos ido a essa escola sondar o preço, pois é uma escola com filosofia diferenciada que já conhecíamos do Brasil. O problema era o preço. Eu e meu marido não podíamos pagar. Quando já haviamos desistido, a Cláudia nos falou do bursary. Corremos lá para pedir informações na maior cara de pau (acredito que essa é a melhor maneira, as pessoas acham mais difícil dizer não na sua cara do que por telefone ou por email). Era verdade, nosso sonho começava a se tornar realidade!

Pelo que pude entender através de todo o processo pelo qual passamos, trata-se de uma bolsa, cujo critério para obtenção é 'baixa renda', e não boas notas em exames como de costume. Meu filho não precisou fazer nenhuma prova ou teste para conseguir.

O bursary é uma exigência do governo, para que escolas particulares possam continuar gozando de algum status de charity que tenham adquirido.

A escola é obrigada a fornecer informações e a tratar imparcialmente todos os candidatos, obedecendo ao critério 'baixa renda' durante todo o processo. Por isso é imprescindível falar a verdade, porque tudo será checado, através dos documentos de comprovação de renda e de despesas que a família terá que apresentar. Quanto mais baixa a renda, maiores são as chances. E o bursary em algumas escolas chega a ser integral. Qualquer pessoa que esteja legalizada no Reino Unido pode se candidatar. Basta ter comprovação de renda e de despesas.

Ah! E no nosso caso a bolsa se estende proporcionalmente à merenda e às excursões também. Então não tem aquela de ter medo de não poder arcar com as despesas extras da escola. Eles fazem as contas direitinho, de um jeito que cabe no seu bolso.

Aconselho a quem se candidatar a um bursary, fazer paralelamente todo o processo de inscrição para uma escola secundária do estado, só para garantir. Foi o que fizemos. 

Novas oportunidades

Vale a pena ficar sempre atento. Novos esquemas surgem o tempo todo, portanto estar em dia com a informação é crucial. Entre os vários projetos de que se fala no momento, um muito interessante é o do grupo de escolas particulares de elite que tem planos de criar mil vagas totalmente gratuitas em Sixth Forms para alunos de baixa renda com bom desempenho acadêmico. Leia mais detalhes aqui.

Boa sorte!


Copyright © Claudia Storvik, 2010. All rights reserved.


8 comentários:

alezilli disse...

Oi Claudia! Parabens! O blog esta uma delicia!
Acho que esse 'dilema' do bilinguismo, ou seja, falo com meu filho a minha lingua, ou a do pais que vivemos? Nunca foi tao bem retratado como aqui. Todos que criam filhos fora de seu pais de origem, sabem bem o que e esse drama, que alias, como voce diz, nao precisa ser um "drama".
Tambem achei muito valido o artigo sobre os bursaries, ja que, muita gente (que precisa)nem sequer sabe da existencia deles. Valeu, obrigada!

Claudia Storvik disse...

Oi Alezilli, seja bem-vinda! Muito obrigada pelos comentários tão gentis. Fico feliz que tenha gostado dos artigos e espero que continue compartilhando sua experiência com os leitores do blog. Mais uma vez, obrigada pelo apoio. Um abraço, Claudia

Dani disse...

Oi Claudia,
um feliz natal atrasado e desejo a ti e tua famìlia um otimo ano novo, cheio de saude e alegria.

Gostei mt desse seu artigo. Futuramente vou pesquisar aqui na Italia a respeito, saber se aqui tb existe esse tipo de bolsa. Esses dias recebi uma propaganda de uma escolinha para crianças a partir de 3 anos. Era um escola cuja lingua principal é o ingles. Ficamos, meu marido e eu, pensando q no nosso caso uma escola em ingles talvez nao fosse uma boa ideia, ja que nosso filho vai falar portugues em casa e o certo seria aprender italiano na escola. Se ele vai para uma escola em ingles, talvez fique com dificuldade na aprendizagem do italiano,ne? O q vc acha?

Claudia Storvik disse...

Ola Dani, agradeco e retribuo os votos! Fico feliz que tenha gostado do artigo. E bem possivel que haja algum esquema semelhante na Italia – boa sorte na sua pesquisa. Se descobrir algo interessante talvez queira compartilhar aqui. Quanto a escola, e muito dificil fazer cometarios especificos. Acho que a sua preocupacao com o italiano e procedente sim. Imagino que voce e seu marido tenham planos de continuar vivendo na Italia e nesse caso talvez o melhor seja seu filho frequentar uma escola onde a lingua e a cultura sejam as locais, especialmente se ele for fazer faculdade na Italia. Foi o que decidimos fazer com nossa filha. Uma das opcoes de escola que tinhamos aqui era a escola norueguesa, em Wimbledon, que descartamos totalmente. Havia tambem varias escolas internacionais, a maioria ensinando curriculo e cultura americanos, que consideramos mais a fundo, mas tambem descartamos em favor de escolas inglesas. Nao nos arrependemos da decisao, pois nossa filha esta hoje totalmente ajustada a cultura britanica – o que achamos muito importante. No caso da sua familia existe a questao da lingua inglesa, com relacao a qual sinto que ha uma grande ansiedade por parte de pais brasileiros, a meu ver porque as pessoas tem tanta dificuldade de aprender ingles no Brasil. Mas a diferenca e que aqui na Europa o ensino de ingles nas escolas e muito melhor que la e as pessoas em geral usam o ingles muito mais no dia a dia. Pelo menos no norte da Europa, e quase inevitavel que um jovem aprenda ingles. E se seu filho precisar de um intercambio na adolescencia pra dar uma calibrada no sotaque, quem sabe ele nao vem passar uns tempos conosco aqui em Londres (hehe)? No entanto, se voce resolver que quer que seu filho frequente uma escola onde o ingles e a lingua principal, lembre-se que tem duas opcoes: escolas bilingues e escolas internacionais. No caso de sua familia, que esta estabelecida na Italia, talvez uma escola bilingue seja a melhor opcao. Veja video em http://veja.abril.com.br/multimidia/video/escola-bilingue . Por favor, nos mantenha informados. Vamos continuar conversando sobre este tema, que tenho certeza e de interesse para muitos pais. Boa sorte e um grande abraco, Claudia

Anônimo disse...

Oi Claudia! Primeiro gostaria de te parabenizar pelo ótimo conteúdo de seu blog, tenho muitas dúvidas sobre o estudo na educação fundamental aí em Londres. Estou começando agora a pesquisar sobre escolas pra minha filha que irá fazer 8 anos em setembro. Tenho muita vontade de morar em Londres com minha irmã que já vive aí.
Mas tenho uma filha pequena e não queria de forma alguma atrapalhar seus estudos. Gostaria de saber qual seria a melhor escola para ela e se o tipo grammar school por haver testes para entrar estaria fora de cogitação.
Minha filha não fala ingles, estuda apenas em um cursinho onde moro e eu também não falo nada de inglês. Seria muita loucura essas mudanças ou ainda tenho chances de fazer dar certo na terra da rainha? rs Desde já agradeço suas contribuições por todas essas informações postadas aqui. Obrigada, Andreia.

Claudia Storvik disse...

Ola Andreia, obrigada pelos comentarios. E muito dificil avaliar as chances de sua filha de entrar numa grammar school sem conhece-la, mas se ela nao fala ingles vai ter que trabalhar muito para chegar ao nivel das grammars em apenas dois anos. O tipo de escola disponivel vai depender da regiao onde voce morar - algumas areas tem boas comprehensives e muitas nem tem grammars. Um abraco, Claudia

Anônimo disse...

Claudia, minha familia pretende viver na Inglaterra no periodo de janeiro/14 a julho/14. Meu esposo estara em um curso. Gostaria de saber sobre escolas para minhas filhas de 15 e 17 anos. Por exemplo, qual serie devo matricula-las? Sera possivel ingressar em escola publica? Espero sua resposta. Agradecida. Daniele

Claudia Storvik disse...

Ola Daniele. Voce tem que contatar a "Local Education Authority" da cidade onde vai morar para obter informacao sobre escolas, mas e' possivel ingressar em escolas publicas sim. Um abraco, Claudia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...