quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

O que não dizer para seus sogros estrangeiros nas festas de fim de ano

Assim como eu, muitos dos leitores de ‘Filhos bilíngues’ são casados com pessoas de nacionalidade diferente da sua. Nessa situação, nosso relacionamento com a família de nossa cara metade pode ser excelente ou um tanto quanto atribulado, mas em todos os casos um pouco de tato de nossa parte pode surtir bons efeitos.



Tenho muita sorte pois a família de meu marido é maravilhosa e me adotou de coração. No entanto, durante esse meu ano e pouco na globosfera materna internacional percebi que o mesmo não ocorre em todos os casamentos internacionais, e que brasileiros e brasileiras sofrem pelo mundo afora por causa de conflitos com sogros, cunhados, sobrinhos, etc.  Na maioria das vezes as causas desses conflitos são diferenças culturais. Como lidar com tais diferenças poderia ser o tema de um tratado de mestrado, mas existem algumas regras simples que, mesmo não resultando necessariamente num relacionamento harmonioso, podem pelo menos ser usadas para evitar conflitos.

Sem sombra de dúvida, a regra mais importante é ser diplomático - sempre. Mas o que isso significa na prática? Pelo menos para as festas de fim de ano, encontrei dicas excelentes num artigo do site Multilingual Living.  O texto traz uma lista das 10 coisas que pessoas em casamentos internacionais que estejam indo passar as festas com a família do cônjuge realmente devem evitar dizer para seus sogros durante a visita. Abaixo, a lista das dez frases destruidoras da paz:

1.    “Em meu país nós nunca preparamos este prato desta maneira.”
Resista ao impuso de explicar como o prato em questão é preparado em seu país de origem. O melhor é elogiar a comida e pronto.  

2.    “Eu não vejo a hora de voltar a morar no Brasil.”
Se você vive perto dos seus sogros, falar sobre uma mudança para outro país pode deixá-los muito tristes.

3.    “A maneira como se faz [x, y, z] neste país é horrível.”
Acho que essa dispensa qualquer comentário...

4.    “Como alguém pode viver com esse clima horrível?”
Seus sogros podem apreciar o clima do lugar vivem e, mesmo que não gostem, um comentário desses não vai levar a nada.

5.    “O governo neste país é tão… ”
Falar sobre política com qualquer um é complicado, portanto o tema requer muito cuidado. Mesmo que você e seus sogros tenham as mesmas convicções políticas, algumas afirmações são arriscadas e podem ser entendidas como um ataque.

6.    “Seu filho/filha não gosta mais disso.”
Num casamento internacional cada um tem que se adaptar aos costumes do cônjuge, que podem ser bem diferentes. Seus sogros podem não perceber exatamente quais preferências e costumes de seu filho/filha mudaram. Se alguém tem que falar sobre isso com eles, melhor que seja seu esposo e não você.

7.    “Por favor não se meta na nossa vida.”
Principalmente com relação à educação de nossos filhos, o fato de não querermos fazer as coisas da mesma maneira que nossos sogros não significa que nós não podemos pelo menos ouvir seus conselhos. Simplesmente não precisamos seguí-los.

8.    “Nossos filhos adoram estar com meus pais.”
Independentemente da qualidade do relacionamento de seus sogros com seus filhos, nunca os compare com seus pais.

9.    “A maneira como sua família faz as coisas é realmente estranha.”
Pode parecer inofensivo mencionar as diferenças que nos irritam, mas esse nem sempre é o caso, e muitas vezes isso pode magoar até nosso próprio esposo. O melhor é reconhecer que as coisas são diferentes. Se algo for um problema muito grande converse separadamente sobre isso com seu cônjuge.

10. “Posso lhe dar um conselho?”
Mesmo que você ache que um membro da família de seu esposo poderia estar agindo de modo diferente, se a situação não atinge você diretamente, melhor ficar de bico calado.

Feliz ano novo a todos, e muita diplomacia com os sogros internacionais!



.

5 comentários:

Isabela Bonfim disse...

Ótimas dicas e acredito que elas são válidas para qualquer relacionamento familiar, inclusive os conterrâneos. beijos...

Anônimo disse...

Eu diria que esta mesma diplomacia deve ser para todos, independente se somos casadas ou não com gringos, saca? Quando casamos com outra pessoa, necessariamente, rola diferenças. O lance é praticar a diplomacia. Ouço, fico calada, falo o essencial e falo muito apenas com meu esposo, que brasileiro como eu sou. A família pode comentar sobre educação das minhas filhas e ouço com muita humildade, embora nem sempre concordo.
A vida é mais simples quando vivemos em paz com as pessoas, sem dúvida. E calar é muito bom se ter paz!

chuvaesolmaedeespanhol disse...

Muito bom post. Eu sou uma dessas que já teve problemas com a família do marido e evito falar em reuniões familiares para ñ dar briga, porque já rolou. Eu até consigo evitar dizer coisas indevidas, o problema é que eles não o fazem e eu já tive de morder a língua com alguns comentários que escutei...

Renata C., UMA EXPATRIADA (esposa, mae, mulher...) disse...

eXCELENTE MATERIA. lINKEI LA' NO blog! bJS! ;-)

Lari disse...

Qualquer sogra e dificil, mas uma sogra estrangeira e mais dificil ainda! Obrigada pelas dicas. Lari

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...