segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Criando filhos bilíngues

Se num piscar de olhos pudéssemos transformar nossos filhos em perfeitos bilíngues, fluentes tanto em português quanto em inglês ou qualquer outra língua, quem não o faria? No entanto, a tarefa de ensinar duas línguas a um filho geralmente é bem mais complicada do que os pais imaginam.


Antes de ser mãe conheci muitas brasileiras vivendo na Europa que por convicção ou por insegurança não ensinavam português a seus filhos. Algumas diziam ter medo que a criança ficasse confusa com duas línguas, ou que não conseguisse se comunicar com o pai, ou que a criança chegasse à idade escolar sem dominar a língua do país de residência. No entanto, também conheci algumas mães que tentaram e falharam parcial ou totalmente na missão de ensinar português a seus filhos. Muitas se contentavam com o fato do filho “entender” português.

Eu considerava esses casos exemplos de desperdício de uma oportunidade importante para as crianças, pois, por falar cinco línguas, eu conhecia bem as enormes vantagens do multilinguismo.

Quando minha filha nasceu na Inglaterra, eu não tinha mais dúvida alguma de que ela seria criada em três línguas: português, inglês e norueguês, a língua de seu pai. Estava convicta de estar fazendo a coisa certa expondo minha filha desde o nascimento às línguas com as quais ela teria um contato natural ao longo da vida.

Durante a gravidez li vários livros sobre bilinguismo e todos os artigos que pude encontrar sobre trilinguismo. Após o nascimento de minha filha continuei lendo muito sobre multilinguismo e mantive correspondência com uma pesquisadora inglesa, que além de estudar trilinguismo tinha uma filha trilíngue.



Quando minha filha tinha 5 anos ajudei a fundar e por vários anos administrei (como voluntária) a Escola Brasileira de Bromley, que durante muito tempo ofereceu aulas de português para crianças do sudeste de Londres e noroeste de Kent, bem como memoráveis festas juninas, bailinhos de carnaval e outras comemorações bem brasileiras.

Hoje minha filha está com 12 anos e é totalmente fluente em inglês e português, tanto falados quanto escritos, e é muito competente em norueguês. Durante esses 12 anos aprendi algumas lições importantes tanto por experiência própria como pela observação de parentes, amigos e conhecidos que também tentam educar seus filhos para que sejam bilíngues.

Há algum tempo tenho pensado em compartilhar essa experiência com outras famílias, e assim surgiu a idéia de se criar este blog, onde vou tentar esclarecer dúvidas e passar informações úteis a mães e pais brasileiros residentes no exterior que estão tentando dar a seus filhos o maravilhoso presente do bilinguismo.

Nos artigos que aparecerão aqui vou tratar, entre outras coisas, das dúvidas frequentes sobre os efeitos fisiológicos e psicológicos do bilinguismo, de pesquisas científicas sobre multilinguismo, de estratégias para ensino de segunda língua e vou também contar as histórias de várias famílias brasileiras que como a minha tiveram sucesso na educação bilíngue de seus filhos. E, claro, vou tentar responder às perguntas enviadas pelos leitores do blog.


Copyright © 2010 Cláudia Storvik

20 comentários:

Suzanna Perez disse...

Que lindo! Amei! Parabens claudia! Continua escevendo esses artigos super interessantes! Tchau x

Claudia Storvik disse...

Que bom que voce gostou, Suzanna, e obrigada por virar seguidora. Claudia

Jul disse...

Sempre tive essa dúvida, mas nunca pude perguntar a alguém, crianças bilíngues, como sua filha, sonham em qual idioma?

Claudia Storvik disse...

Oi, Jul. Fiz a sua pergunta para ela. Parece que o processo linguístico do sonho é o mesmo que o de quando ela está acordada. Ela disse que o idioma do sonho pode ser qualquer um dos que ela fala, dependendo de onde o sonho se passa e de quem está nele. Claudia

Neda disse...

E lá venho eu falar de novo.
Nunca vou esquecer a primeira vez que sonhei em "norueguês". Estava no país tinha uns 2 meses e uma noite sonhei e não entendia nada do que eu falava no sonho. Daí pra frente, foi um pulo para virar uma matraca em bokmål. Hoje, passados 16 anos, ainda sonho em norueguês, ou em inglês ou espanhol, mas é raro.
Neda

Claudia Storvik disse...

Olá, Neda. Adorei a história do seu primeiro sonho em norueguês! A mente humana realmente é um mistério. Por favor, continue compartilhando suas experiências conosco. Hilsen! Claudia

Fernanda disse...

Ola Claudia, te achei hoje na internet...sao tres horas da manha e perdi o sono pensando o que estou fazendo de errado??? Tenho dois filhos...um de 2 anos 9 meses e um de quatro meses e meio. Moro na Irlanda e sou casada com um irlandes. Em casa falamos so ingles porque meu marido nao e fluente em portugues. Desde que meu primeiro filho nasceu eu me comunico com ele em portugues. Leio historias para ele em portugues, coloco musicas brasileiras, enfim, minha comunicacao com ele e totalmente na minha lingua nativa, ate porque nao me sinto confortavel falando ingles com ele....Pensei que ele fosse falar o portugues fluentemente comigo, ja que fico com ele o dia todo e so me comunico com ele em portugues....Mas ele me surpreendeu.....ele fala o tempo todo ingles, inclusive comigo...e eu me sinto um pouco triste....e como se eu estivesse falhando....nao sei explicar esse sentimento....Como sei que ainda da tempo de fazer alguma coisa...afinal, ele ainda nao tem tres anos....gostaria de saber se podia me aconselhar....e ate indicar leituras para eu me sentir mais confiante. Quero, realmente, que ele fale minha lingua e seja capaz de se expressar perfeitamente nas duas linguas. Muito obrigada.Abracos, Fernanda

Claudia Storvik disse...

Ola, Fernanda. Nao se preocupe, voce ainda tem tempo. Assumo que seu marido apoie a educacao bilingue de seus filhos. Voce diz que fala portugues com eles todo o tempo, e isso e exatamente o que voce tem que fazer; mas o mais velho obviamente ja entendeu que nao ‘precisa’ falar portugues com voce. Sugiro que leia com atencao o post ‘Criancas bilingues e o valor das linguas’ - seu filho parece precisar de motivacao para falar portugues. Voce nao menciona isso, mas imagino que ele entenda portugues perfeitamente. Isso significa que ele ja e bilingue, mas e um bilingue passivo, ou seja, apenas entende e nao fala uma das linguas. E muito importante que voce continue falando portugues com seus filhos, mesmo que o mais velho responda em ingles. E tente criar situacoes em que ele precise falar portugues. A estrategia que tenho certeza lhe ajudaria neste momento seria passar uma temporada no Brasil (nao me leve a mal, mas ir sem o marido seria melhor ainda, pois as criancas iriam ter contato apenas com portugues durante toda a estadia) – e quanto mais tempo voce puder ficar la melhor. Como o problema do seu filho e falar, ele precisa de interacao humana, e principalmente de situacoes em que haja necessidade de falar portugues. O post em questao sugere outras estrategias que voce pode tentar caso nao seja possivel passar uma temporada no Brasil. Se voce quiser conversar em particular, e so me mandar um email. Boa sorte! Claudia

Karina Menezes disse...

Olá,Claudia . Queria que voce me desse uma luz.Tenho uma filha de 5 anos e quero que ela aprenda a falar inglês.Pretendia matriculá-la numa dessas franquias,mas percebi que não seria o ideal para ela; o melhor mesmo seria uma escola bilíngue.Como toda mãe,sonho com o melhor para minha filha,porém essas escolas são muito caras e nem em sonho poderia arcar com as despesas.Acho que ,se for para aprender um inglês com deficiência , é melhor nem aprender.Mas, tenho esperança de conseguir uma bolsa para ela em uma escola aqui de Recife-PE, mas não sei se é possível. Tentei entrar em contato com eles , mas não obtive resposta. Será que o governo daqui ou dos EUA ou Canadá- enfim, algum país de língua inglesa- poderia custear os estudos de minha filha aqui no Brasil?

Claudia Storvik disse...

Ola Karina. Infelizmente nao tenho experiencia nessa area. Sugiro que entre em contato com pessoas que tem envolvimento com escolas bilingues, como www.ensinobilingue.com.br e www.educacaobilingue.com. Boa sorte. Um abraco, Claudia

Anônimo disse...

Ola Claudia, moro na Inglaterra a 4 anos. Tenho um filho de 5 anos e meio. Eu e meu marido so falamos portugues em casa. Meu filho esta no YR (reception), lendo e escrevendo bem em Ingles. Queria comecar a alfabetiza -lo em Portugues (tentar ja que nao sou professora). Pedi minha mae para trazer do Brasil um livro de alfabetizacao por fonemas, ja que eh o metodo que eles usam aqui em Uk. Estou pensando em comecar a alfabetiza -lo em Setembro, quando ele comeca o Y1, mas nao sei se seria melhor esperar um pouco mais. Voce teria alguma dica ou ideia para dar? Sua filha estava em qual ano escola quando comecou a alfabetiza-la? Adorei o seu blog e ja adicionei o meu email. Desde ja muito obrigada! Renata

Claudia Storvik disse...

Ola, Renata. Sugiro que leia minha trilogia sobre alfabetizacao, comecando aqui: http://filhos-bilingues.blogspot.co.uk/2010/12/alfabetizacao-de-criancas-bilingues-em.html Se depois de ler os tres artigos voce tiver alguma duvida especifica entre em contato novamente. Um abraco, Claudia

Anônimo disse...

Ola Claudia, obrigada por sua dica. Apos ler sua trilogia achei melhor esperar para ver como ele estara no final do ano. Ele fala bem o portugues e melhor ainda o ingles. Esta so com problemas com o R, no portugues. Mas apesar dele estar lendo e escrevendo bem o ingles para a idade dele, acho que a alfabetizacao ainda nao esta completa por parte da escola. Ele gosta muito de livro, escrever e ler, nao dorme sem ler um livro em ingles, sendo assim, acho que ele ficara feliz em aprender o portugues, nao sera nada forcado. Vou esperar ate o final do ano para ver como ele esta. Muito obrigada e continuarei acompanhando o seu blog. Abracos Renata

Anônimo disse...

Bom dia Claúdia. Primeiramente gostaria de parabenizá-la pelo seu blog.
Me chamo Tiago, meu primeiro filho nascerá em Outubro/12 e estou pensando em falar somente inglês com ele. Minha esposa fala somente português e moramos no Brasil. Tenho tido muitas dúvidas em como falar com ele, pois apesar da fluência em inglês, não tive tanto contato com crianças durante meu intercâmbio no colégio, ou seja, acredito que precisaria estudar palavras adequadas, expressões idiomáticas... o que você acha? Tem algum livro, site ou algum material em video que pudesse me auxiliar? Desde já muito obrigado!

Claudia Storvik disse...

Ola, obrigada pelo comentario. Sugiro que leia o post neste link: http://filhos-bilingues.blogspot.co.uk/2012/05/mais-comentarios-interessantes-quando.html e o artigo em http://www.multilingualliving.com/2010/04/23/non-native-speakers-can-raise-multilingual-children/ . Boa sorte. Um abraco, Claudia

Laís disse...

Olá encontrei seu blog e me apaixonei logo de cara, tenho um filho de 1 ano e sempre falo alguma coisa em inglês, ou canto músicas infantis para ele se familiarizar, desde que estava gravida eu desejava que ele falasse ao menos 2 idiomas. Meu marido que ficava em cima do muro e não ajudava muito, até que a pediatra do meu bebê disse que sua filha de 4 anos ja fala muito bem inglês, meu marido e eu questionamos se a criança entenderia e ela nos explicou e me encantei, deveria ter me empenhado mais. Meu filho assiste desenhos em inglês e da risada, esse blog com certeza será de grande ajuda para o desenvolvimento bilíngue do meu filho. Obrigada!

gimenalt disse...

Olá Claudia, encontrei por acaso o teu blog, e, adorei. Estou em um dilema também. Moro em uma fronteira Brasil/Uruguay (a única separação entre as duas é uma rua). No caso moramos do lado brasileiro. Eu sou uruguaia,mas, por sempre ter estudo no Brasil, falo fluentemente as duas línguas, inclusive trabalho no Uruguay. Meu marido é brasileiro, e, em casa, falamos português. Temo um filho de 1 ano e 9 meses. Meu marido insiste para que eu fale em espanhol com ele,mas, ñ consigo ser natural. Por vezes, canto músicas ou conto histórias em espanhol. É engraçado porque com minha família (mãe, irmão, tios,...) nos falamos em espanhol,mas, com meu filho, todos falam português. Muita coisa ele entende quando falo,mas, responde em português.Ano que vem, ele vai para a escolinha,e, estamos com vontade de colocá-lo no Uruguay, ao menos a pré-escola, para que ele tenha mais contato com a língua. O que tu acha? Podes me dar uma opinião? Muito obrigada, e, parabéns pelo blog.Bjs

Glauci Boettge disse...

Lindo o seu blog:)

Polly Doll Hair disse...

Interessante! Eu também quando aprendia alemão e ao mesmo tempo trabalhava em um restaurante italiano, meu ex- marido dizia que eu falava enquanto dormia em 3 idiomas heheh... Parabens pelo blog.

FDR disse...

Oi Cláudia,

Obrigado por criar esse espaço. Tenho tido grandes dificuldades em ensinar meus filhos.

Gostaria de pedir (a você e todos aqui) algumas dicas sobre livros de ensino de Português. Tentei alguns textos não especializados, como por exemplo a versóes em Português dos livros do Richard Scarry, porém falta estrutura.

Quaisquer informações e dicas são bem-vindos.

Flavio
fdr1100@gmail.com


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...